segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Buenos Aires - Parte 3 - La Boca.

Assim que o taxista parou na esquina de uma espécie de bar, pude ver bem na minha frente o estádio mais famoso da Argentina, La Bombonera.

Eu não sou uma fanática por futebol, mas assisto alguns jogos, as vezes acompanho resultados e como boa palmeirense adoro cornetar os rivais hahahaha.

Bom, o nosso roteiro era bem simples, chegar comprar o ingresso para o museu e seguir para o Carminito, mas, chegando lá, além do ingresso para visitar o acervo do museu de la Pasión Boquense , também compramos o ticket para fazer o tour guiado dentro no estádio. uhulll!

O museu  La Pasión Boquense é grandiosamente rico em história e material, eles têm um acervo bem interessante de fotos, camisas, troféus....  para quem gosta de futebol é o gol de placa inteiro, sem dúvidas! rs

Depois do museu, seguimos para o tour dentro do estádio, o guia conta toda história do clube desde o início, as vistórias históricas, as curiosidades e claro que o Dieguito Maradona tem participação impar em tudo isso. ahahahahah

Visitamos praticamento todos os pontos principais, inclusive o vestiário, sala de imprensa, etc. No final, você tem a opção de tirar foto com a taça da libertadores, eu não resisti, apesar do preço salgado por uma única fotinha rs

Saindo do La Bombonera, andando pelas ruas, confesso que fiquei meio apreensiva, o bairro é bem humilde, não se vê muita gente pelas ruas e quando parei uma senhora para perguntar se estávamos no caminho certo, ela se assustou, mas nos deu a informação e orientou para que tomássemos cuidado porque ali não era uma área segura, no mesmo instante, um outro rapaz passou por nós e começou a brigar com a senhora, dizendo que ela não deveria ter dito aquilo para a gente, que o bairro era seguro sim hahahahahahaha vai entender!

Depois de alguns minutos, lá estava ela, El Carminito, impossível não reconhecer todo aquele colorido. Ali, o clima já era bem diferente, ouvia-se música por todo lado, via-se muitas banquinhas de souvenir tentando chamar atenção da clientela e mais abaixo, as famosas casinhas coloridas, que eram casas típicas dos imigrantes italianos e foram pintadas em várias cores porque os imigrantes usaram a tinta que sobrava nas oficinas do porto.... Na minha humilde opinião, ficaram super charmosas. rs

Andamos um pouco pelas ruas, paramos em algumas das milhares de lojas, e seguimos para a famosa e despretensiosa loja da Havana (ela fica num ponto bem estratégico rs), fizemos nossas comprinhas hahahah assim como em outras galerias de artes/souvernirs e paramos em um restaurante italiano (amor maior); Nossa mesa era na parte externa e enquanto a gente almoçava, um showzinho de tango bem particular acontecia bem na nossa frente, Ôh sorte!
Poderia ficar ali por horas, comendo, observando, apreciando, que delicinha que é esse tal de Carminito viu! Que riqueza singular, que cultura distinta. Amei, amei, amei!!!!

E a minha impressão de La Boca foi: Acho que o bairro é realmente especial por aglomerar tanta cultura, música e futebol em um espaço tão pequeno. É uma experiência impar.
Me senti, por um momento, fora de Buenos Aires... e que engraçado, uma mesma cidade com bairros de características tão peculiares.
Super recomendo, mas também passaria as mesmas orientações que me passaram, tome cuidado, não leve nada de muito valor, fique atenta.. De resto, é só aproveitar! ;)


Dentro do museu



Forlanzinho





esse é o miguel, ele trabalhava no museu, falava português super bem, era super simpático, cantava michel teló e fazia piadinhas contra o "cúrinthians", tem como não amar? hahaha




Visita guiada


El Carminito :)


A loja da Havana bem centralizada rs
  



Somewhere in Carminito...

O showzinho de tango enquanto a gente almoçava...

Melhor fettuccine de molho rosé da vida s2

Ôhh sorteeee!!! 

video
Um videozinho do show de tango... 

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Buenos Aires - Parte 2: Palermo + balada.

Nosso destino no terceiro dia era Palermo, um dos bairros mais nobre de Buenos Aires.

Acordamos cedo, tomamos café e nos orientamos como podíamos chegar em Palermo, o pessoal do hostel é muito gente fina, eles dão váriass dicas, são jovens, descolados e muito animados hahahah.

Nos indicaram o metrô, confeso que tenho meio medinho de usar metrô quando não conheço o lugar, não me perguntem o porquê, mas o cara do hostel disse para não nos preocuparmos porque sairíamos muito bem rs.

A estação subterrânea, ficava em frente ao hostel e seguimos rumo a linha azul (não lembro mais se era a azul mesmo). Nos perdemos um pouquinho, mas chegamos vivas ao destino final! hahahaha

Palermo representa o maior dos bairros de Buenos Aires e é subdivido em: Bosques de Palermo, Palermo Chico, Palermo Hollywood e Palermo Soho.
Há muitas atrações para ver em Palermo, além de seus exuberantes jardins, há lugares muito importantes como: o Zoológico, Plaza Itália, Jardim Botânico, El Rosedal, o Planetário Galileo Galiei e muitos outros...

O dia foi bem longo, a primeira parada foi um parque (não lembro o nome, sorry) , me lembrou o Taquaral de Campinas, super calminho, relaxante, várias pessoas descansando, fazendo caminhada...

Nosso próximo destino era o Jardim Japonês, que representa um parque típico do Japão (ah mentira? rs), com lagos, cachoeiras e existem muitas espécies de plantas. É bem lindo!

Paga-se cerca de $50,00 pesos (não lembro o valor ao certo) e você tem acesso livre ao parque.
Lá dentro, além da belíssima paisagem e lagos, tem um restaurante típico, uma casa de chá, uma espécie de biblioteca e eu li em algum lugar que tem um salão de beleza, sim, um salão de beleza hahahah.

O legal é ir com bastante tempo para passar o dia todo; é um lugar bem gostoso de se apreciar, meditar e relaxar. Porém como nosso tempo estava contado, não conseguimos visitar tudo. Então, demos uma volta em quase todo o parque e paramos em um lojinha de lembrancinhas (ai essas lojinhas...grrr).

Próxima parada: El Rosedal.

No meio do caminho para o El Rosedal, vimos o planetário Galileo Galilei de longe e também passamos no monumento aos espanhóis. O monumento fica em uma fonte e representa a celebração do centenário da Revolução de Maio. O sol estava muito forte, então não ficamos muito tempo e já seguimos para o Rosedal.

A região de Palermo é bem arborizada, pelo caminho encontramos várias praças/parques lindíssimos e bem cuidados. Tinha muita gente passeando com os cachorros, todos lindos. Ahh uma coisa legal que não vi por lá é cachorro abandonado. Já tinha lido em alguma lugar que os argentinos são apaixonados por cachorros. s2

Uns 15 minutos de caminhada depois e já estávamos no nosso destino, El Rosedal.
O Rosedal é um jardim de rosas, com mais de 18,000 roseiras de espécies diferentes, provindas de vários lugares do mundo. Possui um lago onde você pode alugar barquinhos para passear, ou apenas apreciar em cima da ponte, enquanto os patos/gansos passam de um lado para o outro.

O jardim é de tirar o fôlego, posso dizer que foi um dos lugares mais lindo que vi em Buenos Aires, você chega a não acreditar na quantidade de espécies de rosas, de todas as cores, tamanhos e formatos. Ficamos horas passeando e fotografando entre elas e sentindo todo aquele perfume singular.

E olha que sorte, conseguimos ir na melhor época do ano, a primavera. Por isso, acredito que aquilo ali estava mais lindo que o normal, não é possível hahaha.... Ôh sorte grande!!!

Há também o Jardim dos Poetas, onde se encontram esculturas de escritores famosos, como William Shakespeare, mas preferimos ficar só na parte das flores. Era muita beleza para apreciar em tão pouco tempo.

Saíndo do El Rosedal, eu listei Palermo como meu lugar no mundo (um dos...rsrs). Queria morar ali para sempre, mais um lugar para guardar na minha caixinha de delicadezas de lugares mágicos que conheci nesse mundão...

O sol estava muito quente e no caminho de volta, já cansadas com os pés gritando por socorro, mas felizes da vida =] pegamos os metrô, dessa vez não erramos hahahah. chegando no hostel, tomamos banho e saímos para jantar, minha vontade era dormir a noite toda, mas tínhamos combinado uma baladinha com as brasileiras.

Voltamos pro hostel, nos arrumamos, pegamos um táxi, seguimos para o hotel das palhaças (as brasileiras que conhecemos na noite do tango) e de lá fomos para a tal balada, chamada Terrazas del Este, ela fica perto do aeroporto Aeroparque e pelo o que ouvir, ela é bem famosa.

A amiga da palhacinha conseguiu VIP para gente, AMOOO esse tipo de gente hahahah.

O taxista se perdeu hahahahaha, mas o taxímetro não parava de rodar (tenho pavor de taxímetro), mas ele gentil que só, nós deu um big discount! =]

A balada era divida e quatro ambientes (aham!),  o primeiro que era assim que você entrava, tocava música internacional dessas que tocam em todo lugar do mundo. Logo acima, tinha um ambiente VIP, que somente os privilegiados entravam, não era muito grande, mas era VIP. hahaha
Saindo do primeiro ambiente, havia uma outra pista com música latina, aquele tipo de música que você não precisa morrer de amores, mas te dá vontade de dançar. Por fim, saindo do terceiro ambiente, havia uma parte externa, mais usada por fumantes hehehe, mas que também tinha música (não lembro o estilo) e acho que ali era a que dava vista  para um rio.

Nessa parte externa conhecemos um grupo de argentinos bem simpático, conversamos bastante e eles nos explicaram porquê gostam mais das brasileiras do que das argentinas (acho que era xaveco rsrs).

De volta a primeira pista (música internacional todo mundo conhece rs), conhecemos mais um grupo de argentinos, nesse tinha um que falava português, o Jose: moreno, alto, bonito e sensual. hahahahah S2

Gente, morri de amores pelos os argentinos, como disse no post anterior, antes da minha ida a Buenos Aires, eu era aquela típica brasileira que ODIAVA os hermanos, que pré-conceito bobo porque eles são fofos, educados e dão show de simpatia em muitos brasileiros.

Ficamos na balada até umas 3:00am e posso acrescentar que brasileira faz muito sucesso em terras argentinas, ganhamos a pulseirinha para o VIP para aquele lounge super exclusivo, mas que não tem nada demais só que é VIP hahaha.

Resolvemos ir embora porque no outro dia, todas nos iríamos acordar cedo.

Pegamos um táxi, deixamos as palhacinhas no hotel e seguimos para o nosso com vontade de quero morar em Buenos Aires para sempre...

ignorem o aviso hahah

Jardim Japonês

ahh que calmaria!




na pontezinha vermelha!

Arigato!

Esse é um painel de pedidos, eles dizem que quando o vento bate, leva seu pedido pelo ar e ele se realiza... mas para você colocar o seu pedido ai, precisa pagar ... hahahahaha

os cachorrinhos no um dos mil parques. s2

No El Rosedal

olhem isso...



imensidão de flores



me apaixonei....



olha que amor! isso era apenas uma parte.

uma visão panorâmica do El Rosedal

Vista de cima da ponte.


o clássico preto e branco kkkkk

amarelinha...

de todas as cores...


Na balada!

Palhacinhas!!!


O Jose não quis sair =/

na parte externa

acabei de achar essa no site da balada, tipo furo de reportagem kkkkkk